Na saúde e na doença.

Sabemos que o "até que a morte nos separe" pode abarcar muita coisa quando nos desfazemos em hemorragias abortivas, por exemplo, e alguém nos carrega e trata de nós. Sabemos que também poderá implicar nascimentos de filhos, quadros mais ou menos simpáticos de dor e sofrimento. E sabemos que isso, no, fim de tudo, embeleza o quadro e não o mancha. Nunca sabemos, a caminho dos 40, e ainda com tanta juventude, o que a vida nos trará. Mas sabemos que se falharmos, alguém cuidará de nós, é o maior dos confortos. E o contrário, só poderá ser um prazer. Cuidar.