Calma, confiança e sabedoria

Uma das coisas que me tem encantado no livro de Ester é a forma como Ester demonstrou não ter problema nenhum em lidar com a autoridade, sabendo também usar os recursos, esperando pelo tempo certo. Tendo sido criada pelo primo, por ser orfã, demonstra respeito e obediência a Mardoqueu.

Porém, quando chega a hora de agir, é ela quem troca de papel e pede ao primo que jejue e orem com ela, assim bem como todos os judeus de Susã. E durante isto, prepara um banquete para o rei. Bolas! É possível imaginar o auto-controlo que isto exige? Passados 3 dias, apresenta-se ao rei, sabendo que corre risco de vida na sua ousadia. Contudo, a sua confiança não é em nenhuma altura derrubada pelo medo, e isso para mim é uma grande, grande lição.