A maternidade na era da internet

As nossas mães e avós contavam com os médicos para responderem às suas questões parentais. As mães delas baseavam-se na experiência das suas próprias mães e outras mulheres mais velhas. Nos dias de hoje, a pesquisa na Internet tornou-se parte integrante da maternidade. Precisas saber por que razão o teu filho molha a cama? Queres um remédio natural para asassaduras? Queres as últimas pesquisas sobre atrasar a vacinação? A internet tem uma resposta para todas estas perguntas. Várias respostas, na verdade.

Entre sites e fóruns e grupos no Facebook, as mulheres têm acesso a todo um sem número de conteúdo sobre a paternidade . As mães podem manter-se actualizadas com as mais recentes normas de segurança e tendências alimentares. Nos chats, mulheres de todo o lado conversam sobre as suas crianças,  comas mesmas doenças. Podem até mesmo ligar-se online com outras mães durante a mamada da meia-noite!

Dada a riqueza de informações, será que as mulheres mais jovens ainda precisam de mulheres mais velhas quando se trata de maternidade? Vejo a cultura da maternidade moderna orientada para uma separação entre mulheres jovens e mulheres mais velhas. As mulheres mais velhas zombam das mães jovens por serem tão zelosas pela segurança. As mulheres mais jovens dispensam as mulheres mais velhas, porque elas não sabem as mais recentes normas de segurança do assento de carro, ou porque sugerem que o bebé talvez durma melhor de barriga para baixo.

Em Tito 2: 4-5, Paulo ordena as mulheres mais velhas a treinar as jovens a amarem seus maridos e filhos, a serem auto-controladas, puras, trabalhadoras em casa, gentis, e submissas aos maridos, para que a palavra de Deus não seja desonrada. As mulheres jovens precisam aprender essas coisas tão bem hoje como fizeram nos dias de Paulo. E as mulheres mais velhas são adequadas para ensiná-las.

DEIXEM QUE AS MULHERES MAIS VELHAS VOS ALIVIEM A PRESSÃO

De alguma forma, a pesquisa tornou-se uma responsabilidade central da maternidade. Pesquisa na Internet, seja em métodos de parto ou ciclos de sono, previsivelmente se acham respostas contraditórias, e por isso, inevitavelmente, geram ansiedade. Tu não consegues seguir o conselho do pediatra ao mesmo tempo que o conselho do naturopata, mas terás as vozes de ambos na cabeça dizendo-te que fizeste a escolha errada. Ao mesmo tempo que buscamos a resposta mais acertada online, sentimo-nos acusadas por todos os lados.

Se leres com atenção todas a parafernália de instruções sobre como proteger melhor as crianças, descobrirás que o trabalho nunca está concluído. Nunca serás capaz de agradar a todas as autoridades virtuais que aparecem na tua vida.

Em contraste, as mulheres mais velhas que foram mães podem trazer empatia e confiança a uma jovem no auge da auto-dúvida. Elas ainda se lembram de como era passar meses sem uma noite inteira de sono. Elas podem garantir-lhe que o teu bebé vai dormir mais tarde ou mais cedo, mesmo que esse dia pareça distante. Podem dizer-te que está tudo bem em deixá-los ver mais desenhos animados do que deveriam quando os filhos estão doentes. As mães experientes podem colocar em perspectiva as decisões que, no momento, parecem ser de importância de vida ou morte.

DEIXA QUE AS MULHERES MAIS VELHAS TE DESAFIEM

O que leva uma mãe a pesquisar exaustivamente na internet? Principalmente, é por amor ao filho. Porque amamos os nossos filhos, queremos fazer tudo ao nosso alcance para proteger as suas vidas, saúde e corações. As mães não escolhem amar os filhos; elas apenas os amam. Isaías fez a pergunta: "Haverá mãe que possa esquecer o bebé que ainda mama e não ter compaixão do filho que gerou?" A resposta implícita sugere que tal coisa seria altamente antinatural.

No entanto, Tito 2 diz-nos que há uma determinada forma de amarmos os nossos filhos, que nos precisa ser ensinada. Talvez o tipo de amor que uma mãe precisa ter para com o filho quando o seu comportamento o embaraça em público. Talvez seja o tipo de amor que deixa uma filha cometer erros, apesar de tudo no coração de uma mãe querer protegê-la de consequências.

Quando nós só recebemos conselhos virtuais, podemo-nos proteger das críticas mesmo em cima de nós. Mas talvez tu precises que a tua própria mãe re recorde que não consegues disciplinar biblicamente o teu filho quando estás cansada. Talvez precises de uma vizinha amorosa que te diga que o teu filho te anda a mentir. Ou precises de uma professora  para te ajudar a ver que estás a colocar uma pressão desnecessária sobre a tua filha. Embora este tipo de observação nos possa espicaçar, uma mulher mais velha sábia pode ajudar-te a trazer a tua insuficiência perante o teu Deus gracioso, mesmo quando ela te está a ajudar.

A internet dá-nos acesso a uma grande variedade de conhecimento, e que pode ser uma dádiva de Deus. Devemos dar graças pela riqueza da web de informações sem a tornar um substituto para as relações que Deus ordenou para nos ensinar a amar. Precisas de uma mulher mais velha na tua vida para te dizer que, ao contrário do que vozes online te segredem, não és tu quem realmente está no controlo da vida do teu filho. Deus é que está. E isso é uma boa notícia.

Betsy Childs