Alegria: praticar a gratidão, viver o presente, encontrar bênçãos no meio do caos.


Talvez possamos dizer que uma das características de alguém alegre é a capacidade de ver além de si e das circunstâncias. E talvez isso seja perceber que o eterno é mais importante que o temporário e isso implique fazer escolhas que espelhem a esperança que temos no futuro. Mas paradoxalmente, fixar os olhos na eternidade também é poder reconhecer a importância do presente. É no presente que temos de escolher ser alegres. É no presente que escolhemos amar. E portanto, o presente é o momento que temos para sermos gratos pelo que Deus colocou à nossa frente. Isso implica abrir os olhos e ver pormenorizadamente a bondade de Deus, aqui e agora. Como diz em Colossenses 4:2: "Continuem firmes na oração, sempre alertas ao orarem e dando graças a Deus". A alegria tem a sua raiz na gratidão. Não é possível terum coração alegre sem terum coração grato. Os que louvam a Deus sentirão alegria. Os que são alegres, agradecerão a Deus. Alegria e gratidão caminham lado a lado. 
A maioria de nós foca-se no que não tem em vez de se focar no que tem. Já CS lewis dizia que temos a tendência de rejeitar o bem que Deus nos oferece, pois naquele momento esperávamos outro tipo de bem. Em vez de nos enchermos da gratidão pela bondade de Deus, vivemos cegos pelas nossas necessidades não atendidas. E a alegria não pode crescer se no nosso interior existir ingratidão. 


No Velho Testamento vemos isso muito bem. Em Josué 4,  por exemplo, Deus diz a Josué para escolher doze homens, um de cada tribo de Israel, apanhar doze pedras no rio Jordão, uma por cada tribo de Israel. E disse: " Essas pedras ajudarão o povo a lembrar-se daquilo que o Senhor tem feito. No futuro, quando os vossos filhos perguntarem o que essas pedras querem dizer, vocês contarão que as águas do Jordão pararam de correr no dia em que a arca da aliança atravessou o rio. Essas pedras farão com que o povo de Israel se lembre sempre desse dia."
Durante gerações, pessoas passaram por aquele altar construido com aquelas pedras. Deus sabia que os israelitas eram um povo esquecido e usou este meio para relembrar à presente e gerações seguintes acerca da Sua bondade. Talvez precisemos construir memoriais, formas que nos ajudem a lembrar da bondade de Deus. Uma pedra, um símbolo, uma frase na parede, um bloco de notas. Essa lembrança poderá produzir no nosso coração um sentimento de gratidão. Então, poderemos louvar Deus, como fez David, no Salmo 126: "De facto, o Senhor fez grandes coisas por nós,e por isso estamos alegres."



Viver o momento ajuda-nos a reconhecer que Deus pode ser encontrado naquele instante, haja alegria ou tristeza. É por isso que na Bíblia lemos que devemos aproveitar toda e qualquer ocasião para fazer o bem. Aproveitando ao máximo o momento, podemos experimentar melhor alegria. 
O problema é a nossa ganãncia. Não queremos o momento. Um segundo. Queremos dias, semanas, meses, anos. Queremos toda uma vida. E se não podemos ter momentos dilatados de deslumbre e tranquilidade, então é como se assinássemos um contrato de escolha: não vou ser alegre.
Uma frase que li algures: "A decisão de nos alegrarmos no presente altera não apenas o instante do momento mas também a nossa visão do passado e enche o meu futuro de esperança".
Vivemos insatisfeitos. Gastamos tempo a lamentar o passado que não volta ou o passado como ele foi. Gastamos energias com o futuro que não se pronuncia. na prática, o hoje é minimizado. Mas como diz no Salmo: "Este é o dia que fez o Senhor. regozijemo-nos e alegremo-nos n'Ele".
Para aumentar a alegria nos nossos corações, precisamos reconhecer que este dia foi feito pelo Senhor. tenha ou não sofrimento, Deus pode ser sempre encontrado. Ele está connosco.


A capacidade de achar bênçãos no meio do caos é um reflexo de Romanos 8:28: "Todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus." Isto significa que mesmo no meio de muita coisa má, há sempre algo digno de ser louvado. Encher a mente de coisas boas não significa viver em negação. Antes significa que é sempre possível encontrar algo bom. A alegria andará sempre a par com a tristeza e com as dificuldades, pelo menos nesta vida. Quando encontrarmos Cristo, aí sim: tudo será alegre. Até lá, devemos procurar o que é certo, as bênçãos. E achando as bênçãos mesmo no meio de um cenário triste, vai trazer-nos a alegria. Aquela alegria que invade o nosso coração de paz. A paz de Cristo.