A Bíblia instagram



Tomem cuidado com a "Bíblia Instagram", minhas filhas - os quadros filtrados com versos de penas, enfeitados com toda a espécie de loops, com flores, ou com pores do sol saturados, feitos à tua medida.

Cuidado se esta é a tua única fonte de pão diário. Dá-te apenas uma verdade parcial.

De noite tive uma visão, e eis que sonhava com um mundo em que cada exemplar da Bíblia tinha desaparecido, excepto aquelas partes que tínhamos publicado no Instagram. Imaginemos esta Bíblia, se me permites:

As molduras perfeitas encaixam perfeitamente nos provérbios, nas promessas e nas citações parciais. Deixam de fora as leis, as listas, as longas lições que não cabem num curto espaço.

Esta Bíblia conforta, mas raramente convence.

Emociona mas raramente exorta.

Aquece mas raramente adverte.

Promete, mas raramente pede.

Promove a auto-confiança, mas não incentiva o auto-exame.

Reúne um conjunto de pessoas, que por contingências de espaço, são obrigadas a escolher entre

brevidade ou amplitude,
inspiração ou intelecto,
devoção ou doutrina.

Cuidado com a moldura floreada, onde a caligrafia é mais importante que o contexto.

Cuidado.

Se o evangelho da prosperidade nos ofereceu tudo e mais alguma coisa, o Evangelho Instagram oferece-nos todas as que apenas sentimos. Ele prega uma boa notícia em parte, mas precisamos do todo. Pode ajudar-nos a prosseguir no momento, mas não nos sustenta no meio da tempestade.

Queridas irmãs, não me interpretem mal. Tal como vocês, não desejo publicar na minha conta Insta leis levíticas emolduradas com flores. Nem desejo genealogias, com um fundo de pôr do sol. Não estou a incentivar uma censura ao que é belo, sou até a primeira a gostar de uma palavra bonita de encorajamento.

Não acho que a Bíblia Instagram deva publicar tudo. Posso valorizar, ou até mesmo apreciá-la pelo que ela é.  Mas podemos ser atraídas pelo aspecto bonito do texto, e passarmos a amar apenas uma parte em vez do todo.

A menos que vivamos como no meu sonho.

Cuidado com a Bíblia Instagram. Ela brilha mas apenas com uma luz parcial. Devemos saber o que ela  nos diz no seu todo, mas também o que ela não diz.


Jen Wilkin