Absurdo - 14 de Janeiro

"Antes rejeitastes todo o meu conselho, e não quisestes a minha repreensão, Também de minha parte eu me rirei na vossa perdição e zombarei, em vindo o vosso temor. "
Provérbios 1:25,26

Quando a destruição atinge o tolo, a sabedoria ri-se. Será isto cruel? Não. A sabedoria aqui surge como uma representação , e  o riso não é sinónimo de frieza mas de demonstrar "o absurdo de escolher insensatamente". Albert Camus defendia que os nossos corações anseiam pelo amor, mas que um universo sem Deus nos dá apenas "a certeza clara de morte sem esperança". A esta ausência crónica de sentido, Camus chamou "o absurdo". Ele via a vida como uma longa comédia preta, procurando coisas na vida que ele não consegue ter.
Camus pensava que não existia Deus. Provérbios diz que há, mas concorda que a vida que é vivida sem Deus trará futilidade, porque as coisas do mundo não podem preencher os desejos mais profundos do coração. Não podemos retirar de um romance, dinheiro ou sucesso o preenchimento que apenas uma relação com Deus pode trazer.
A vida no mundo, sem Deus irá com toda a certeza saber a fútil e absurda.
"A esperança dos justos é alegria, mas a expectação dos perversos perecerá" (10:28).
Estás a experimentar frustração e futilidade, até uma sensação de ausência de significado? Há alguma coisa neste mundo que não te trouxe satisfação? O que é que podes fazer em relação a isso?

Oração: Senhor, os livros antigos e os filmes tinham um final em que o mal era sempre derrotado, mas hoje eles caem mais em retratar a vida como negra e ambígua, sem finais felizes. Ambas estas formas de ver o mundos são simplistas e tolas. Tu asseguras-me que a história da minha vida conterá beleza e absurdo, acabando na eternidade. Renova essa certeza em mim hoje .Amém