Compreendendo o paradoxo - 17 de Janeiro

"Se clamares por conhecimento, e por inteligência alçares a tua voz, Se como a prata a buscares e como a tesouros escondidos a procurares, Então entenderás o temor do Senhor, e acharás o conhecimento de Deus. Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento."
Provérbios 2:3-6

Entre o segundo e o quarto capítulo de Provérbios aprendemos como a sabedoria se desenvolve e cresce em nós. Ao início, somos confrontados com o paradoxo. A sabedoria é algo que devemos buscar. Tal como a sabedoria clama por nós (1:20-21), também nós devemos implorar por sabedoria (2:3). Mas depois de 2:3-4 nos chamar a nos esforçarmos por encontrar este tesouro escondido, o versículo 6 diz-nos que a sabedoria é um presente de Deus. Esta ideia está presente ao longo de toda a Bíblia. Filipenses 2:12-13 chama-nos a "efectuar a nossa salvação com temor e tremor" mas logo a seguir acrescenta que é "Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade."
Este paradoxo é sábio. Se este assunto fosse da nossa conta, iríamos trabalhar para isso debaixo de uma enorme ansiedade. Mas se Deus trabalhasse sem a nossa colaboração, perderíamos toda a iniciativa. Este paradoxo dá-nos incentivo suficiente e confiança necessária para perseguirmos este conhecimento de Deus durante toda a nossa vida.
Estás em busca de sabedoria, tal como deverias? Se estás, tens sido paciente com Deus como é suposto? Ele dá sabedoria no seu tempo certo e sábio.

Oração: Senhor, tu dás-nos a oportunidade de fazer algo e de o desejarmos fazer - por isso quando alcançamos devemos admitir que conseguimos por tua causa. Tu exiges o nosso maior esforço, e nesse exercício tornamo-nos mais comom o teu filho, Jesus. Como és grandioso, meu Deus. Amém.